Esclerose múltipla: disfunção sexual

Função sexual

As lesões provocadas pela esclerose múltipla (EM) podem afetar a saúde sexual: não só a comunicação entre o cérebro e o sistema reprodutor é necessário para a atividade sexual, como as mensagens circulam através da medula espinal. Mas enquanto alguns surgem diretamente devido à doença, outros surgem graças ao impacto de sintomas da EM, como o cansaço ou os problemas emocionais.

Por outro lado, o impacto da doença em si pode trazer dificuldades para um relacionamento, criando barreiras físicas e emocionais. E lembre-se: nem todos os problemas são provocados pela EM. Afinal, são muitos os casos de disfunção sexual no mundo que não estão relacionados com uma doença diretamente e que podem e devem ser abordados. O segredo para ultrapassar estes problemas é manter o espírito de união e o foco na intimidade.

Entre os sintomas sexuais que podem surgir estão:

•    Perda de interesse ou diminuição do apetite sexual;
•    Alteração na sensibilidade dos órgãos genitais;
•    Falta de lubrificação nas mulheres;
•    Dificuldade em atingir o organismo feminino;
•    Disfunção erétil nos homens. 

Descubra mais sobre como pode gerir os problemas sexuais, quer sejam masculinos ou femininos.

Sim, pode ser embaraçoso abordar a disfunção sexual com um profissional de saúde. No entanto, a verdade é que estes problemas pode ter um grande impacto não só na qualidade de vida, mas também nos relacionamentos e no bem-estar da família. Falar com o neurologista e/ou enfermeiro da EM pode ajudar a perceber o melhor caminho para ultrapassar a disfunção sexual.

Gerir a disfunção sexual na mulher
Muitas mulheres que vivem com EM sentem problemas sexuais em algum momento da sua vida, quer seja devido à doença, a outros sintomas ou devido a algum medicamento. 

O tratamento visa sobretudo reduzir a dor durante as relações sexuais, melhorar a sensibilidade ou a lubrificação. Se o problema for a falta de lubrificação, a utilização de um lubrificante pode ajudar: se utilizar preservativos prefira um lubrificante à base de água, caso contrário poderá também experimentar os lubrificantes à base de silicone.

Se sente que é mais difícil atingir um orgasmo, experimentem em conjunto fomentar a calma e paciência, dedicando mais tempo aos preliminares e explorando acessórios e fantasias.

Gerir a disfunção sexual no homem
O impacto da EM no homem depende muito das lesões provocadas pela EM no sistema nervoso cerebral (SNC): enquanto a estimulação por pensamentos eróticos requer a troca de mensagens entre o cérebro e a medula espinal, a estimulação genital requer apenas a troca de informação com a medula espinal. Por isso, é possível que um homem consiga uma ereção por estimulação genital, mas não tenha os mesmos resultados através de pensamentos caso a comunicação entre o cérebro e a medula espinal esteja perturbada.

A disfunção erétil é comum um pouco por todo o mundo, mas sabe-se que afeta cerca de 70% dos homens que vivem com EM. Antes de mais é necessário perceber qual é a origem do problema: será de facto um dano provocado pela doença ou por outros sintomas? Será que está mesmo relacionado com a EM ou que pode ser um efeito secundário a um tratamento?

A disfunção erétil pode ser tratada recorrendo a certos medicamentos e/ou a psicoterapia.

Sugestões para melhorar a saúde sexual
•    Deixe de lado pensamentos negativos: talvez sinta que a doença ou certos sintomas são pouco atrativos para a outra pessoa, mas parte destes pensamentos são apenas uma reação perante a adversidade: será que são realmente verdade?
•    Não deixe de comunicar: é importante dialogar de uma forma construtiva para que ambos saibam exatamente como a EM está a afetar a relação sexual e porquê. Sente que é difícil falar? Experimente escrever o que sente e mostrar ao seu parceiro ou parceira.
•    Dedique algum tempo a si mesmo: por vezes, a baixa autoestima pode conduzir ao desleixo, num círculo vicioso. Continue a fazer exercício físico, a manter uma alimentação cuidada e a deixar algum tempo para cuidar de si.
•    Contacto físico: manter um contacto íntimo através de abraços e de massagens ajuda a cultivar a proximidade.
•    Masturbação e acessórios: numa fase em que aquilo que funcionava parece ter deixado de surtir efeito, a experimentação pode ajudar o casal a libertar-se e a redescobrir o que funciona para os dois.
•    Aproveite a energia: se o cansaço é um problema para a sua atividade sexual, tente perceber qual é a hora do dia em que se sente com mais energia. Pode ainda dar-se a si mesmo, momentos de relaxamento e descanso antes e após a atividade sexual.