Introdução ao diagnóstico de esclerose múltipla

Introdução

Na esclerose múltipla (EM) o sistema imunitário “ataca” a mielina que reveste os neurónios, podendo desencadear uma multiplicidade de sintomas. Contudo, alguns desses sintomas podem facilmente ser confundidos com outras doenças. Por isso, o diagnóstico de esclerose múltipla nem sempre é fácil.

Além disso, em muitos casos a primeira suspeita de EM surge na forma de uma Síndrome Clinicamente Isolada (SCI), um primeiro episódio de sintomas neurológicos que não é ainda considerado EM, mas alerta para o risco de vir a desenvolver a doença. 

Ainda não existe um só teste que confirme o diagnóstico de EM: é necessário excluir outras doenças capazes de causar os mesmos sintomas e fazer não só um cuidadoso historial médico, como exames neurológicos, análises sanguíneas e à medula espinal. Descubra quais as várias fases e exames que podem ser necessários para diagnosticar a EM.

Perante sintomas sugestivos de EM, a equipa de saúde irá:
•    Verificar se existem sinais de lesões em pelo menos duas áreas separadas do sistema nervosos central (SNC);
•    Verificar se essas lesões ocorreram em momentos diferentes;
•    Excluir outras possíveis doenças que possam desencadear os mesmos sintomas.

Continue a ler para saber o que esperar no caso de ter uma SCI e como é determinado o tipo de EM, ou seja, o tipo de progressão da doença.

A Síndrome Clinicamente Isolada (SCI) é muitas vezes considerada a primeira manifestação da doença. Não é certo que todos os casos passem por esta primeira fase: o que parece ser uma SCI pode vir a ser confirmado como EM, nos casos em que a ressonância magnética revela lesões antigas no SNC que passaram despercebidas.

No entanto, e perante uma primeira manifestação de sintomas sem registo de lesões antigas o diagnóstico de EM não pode ainda ser estabelecido: são necessárias evidências de pelo menos duas lesões em zonas diferentes do SNC, separadas no tempo. Por isso, e como primeira manifestação ainda é incerto que a SCI venha a evoluir para EM. 

Perante uma possível SCI, a equipa de saúde irá verificar se existem lesões no SNC compatíveis com EM que expliquem os sintomas. De seguida, com base nos resultados, irá tentar avaliar qual o risco de esta primeira manifestação evoluir para EM: 

•    Elevado risco: quando a ressonância magnética revela lesões compatíveis com EM a pessoa tem 60 a 80% de probabilidade de vir a ter EM. Nestes casos é fundamental estar atento aos sintomas e iniciar estratégias de tratamento ou de modificação do estilo de vida para prevenir o aparecimento da doença.

•    Baixo risco: quando a ressonância magnética não revela lesões cerebrais, a pessoa tem apenas cerca de 20% de probabilidade de vir a desenvolver EM.

Descubra mais sobre as características de um SCI. 

Uma vez confirmado o diagnóstico de EM, a equipa de saúde irá tentar identificar qual o tipo de EM (ou seja, qual o tipo de fase ou percurso esperado da doença). Mas como é feita essa avaliação?

Sobretudo observando dois aspetos:
•    Como se manifestam os sintomas – se parecem surgir em surtos, desaparecendo após algum tempo (EM Surto-Remissão) ou se parecem progredir ao longo do tempo (EM Primária Progressiva).

•    O resultado da ressonância magnética – o neurologista tentará olhar para as lesões para perceber como surgiram ou como se comportaram ao longo do tempo.

Nos casos em que a doença progride de forma lenta pode ser difícil identificar qual o tipo presente. No entanto, e com o passar do tempo, o tipo ou percurso da doença torna-se mais evidente.

1. NHS. Diagnosis – Multiple Sclerosis. https://www.nhs.uk/conditions/multiple-sclerosis/diagnosis/
2. National Multiple Sclerosis Society. Diagnosing MS. https://www.nationalmssociety.org/Symptoms-Diagnosis/Diagnosing-MS
3. WebMD. Multiple Sclerosis (MS) Diagnosis & Tests. https://www.webmd.com/multiple-sclerosis/multiple-sclerosis-diagnosing#1
4. National Multiple Sclerosis Society. Possible MS. https://www.nationalmssociety.org/Symptoms-Diagnosis/Possible-MS
5. National Multiple Sclerosis Society. Clinically Isolated Syndrome (CIS). https://www.nationalmssociety.org/Symptoms-Diagnosis/Clinically-Isolated-Syndrome-(CIS)