Acompanhamento da evolução

Perante a imprevisibilidade de uma doença crónica que pode progredir ao longo do tempo uma coisa é fundamental: acompanhar a esclerose múltipla (EM) de perto. Encontrar uma forma de incluir a EM como parte natural da vida, com tudo o que ela implica: acompanhá-la de perto e garantir que uma coisa é a doença, outra coisa é a identidade da pessoa que a tem.

As mudanças na EM podem ser tão graduais que passam despercebidas, pelo que poderá ajudar olhar para trás e responder a algumas questões:

•    Deixei de fazer algo de que gostava? 
•    Faço menos coisas hoje do que há um tempo atrás?
•    Será que preciso de mais apoio?

Poderá ser ainda útil perguntar a outra pessoa as mesmas questões para perceber uma opinião mais distanciada da perceção do doente.

Acompanhar a evolução da EM passa, sobretudo, por manter uma análise cuidada dos sintomas e do seu impacto, bem como manter consultas regulares e vigiar o cérebro (ou mesmo tentar melhorar a saúde cerebral).

Saiba o que fazer para monitorizar os sintomas físicos e o impacto da EM na saúde cerebral.