Vigiar o cérebro na esclerose múltipla

Vigiar o cérebro na esclerose múltipla

Uma das etapas que serão necessárias ao longo da vida é vigiar o cérebro na esclerose múltipla (EM). À medida que o tempo passa deve ser feito um acompanhamento da evolução da doença, bem como da eficácia dos tratamentos implementados. Como? Combinando uma análise com dois tipos de informação:

•    Como se comportam os sintomas da EM presentes;
•    O que se passa no cérebro com base numa ressonância magnética.

Se no passado era muito difícil ter uma perceção clara do que se passa no cérebro, hoje, com o recurso à ressonância magnética fazer esta avaliação é muito mais fácil.

A importância da ressonância magnética no acompanhamento da EM

A ressonância magnética é não só uma ferramenta fundamental para o diagnóstico, como também para acompanhar a evolução da EM. Este exame permite identificar as áreas de lesão, perceber se lesões antigas aumentaram ou mantiveram o seu tamanho, bem como distinguir entre lesões novas e lesões antigas. 

É através da ressonância magnética que os especialistas médicos conseguem perceber se a doença está ativa ou inativa, bem como se o tratamento é o mais indicado ou precisa de ser ajustado.

Continue a ler e prepare-se para o que o espera no momento da ressonância magnética!

Para fazer uma ressonância magnética é necessário deitar-se numa cama que desliza para o interior de um grande tubo, rodeado por um íman circular. É por causa deste íman que é necessário pedir que sejam removidos todos os objetos metálicos (incluindo joias, piercings e dentaduras), bem como confirmar que a pessoa não contém nenhum dispositivo médico [como, por exemplo, um dispositivo intrauterino (DIU), um pacemaker ou articulações artificiais] antes de o exame começar. 

Antes ou durante o exame poderá ser-lhe dada uma injeção de um tipo de líquido (um corante de contraste chamado gadolínio) que ajuda a tornar quaisquer lesões ativas visíveis no exame. Se a injeção for motivo de ansiedade pode ser bom dialogar com o técnico. O técnico deverá ainda ser informado em caso de gravidez ou amamentação.

O exame demora entre 30 minutos a uma hora para captar as diferentes imagens. Ainda que o exame em si seja bastante ruidoso, o técnico poderá ouvir e dialogar com a pessoa em qualquer momento. Enquanto o aparelho está a captar uma imagem, é necessário permanecer o mais imóvel possível para que esta seja o mais nítida possível.

A ressonância magnética não usa radiação: funciona usando fortes campos magnéticos e ondas de rádio para medir o conteúdo relativo de água nos tecidos. A mielina dos neurónios no seu estado saudável repele a água, mas quando estamos perante uma lesão provocada pela EM a mielina deixou de repelir a água. O resultado é que na ressonância magnética a presença relativa de água no sistema nervoso central (SNC) é mostrada, em zonas em que habitualmente ela não deveria estar..

Quem tem dispositivos médicos metálicos no corpo não pode fazer uma ressonância magnética?
Não necessariamente! A equipa médica irá avaliar se pode avançar com o exame e quais as precauções necessárias para garantir a segurança do doente.

Para algumas pessoas, a ressonância magnética pode ser uma experiência difícil. É necessário permanecer numa sala fria, num espaço relativamente confinado e barulhento, o que se torna desconfortável e mesmo claustrofóbico. Além disso, pode ser ainda mais difícil para quem sofre de rigidez muscular ou sente dor ao permanecer na mesma posição durante muito tempo.

Manter a calma durante a ressonância magnética

Antes de mais, é essencial que partilhe todas as suas dúvidas e preocupações com os profissionais de saúde que o acompanham. Talvez estes possam ajudá-lo a ultrapassá-las para que lide melhor com este exame. Além disso, pode ainda:

•    Levar roupas confortáveis e mais quentes. Não escolha roupas com apliques metálicos e deixe em casa os seus acessórios;

•    Pedir um cobertor se necessário para se proteger desde logo do frio da sala;

•    Esclarecer se é possível ouvir música através de auriculares para ajudar o tempo a passar. Escolher uma música relaxante pode ainda ajudar a evitar a ansiedade;

•    Usar uma máscara para os olhos pode ajudá-lo a esquecer-se que está num espaço confinado;