Quando começar um tratamento para a EM

Quando começar um tratamento para a EM

A EM pode estar ativa mesmo que se sinta bem, e estes danos podem acumular-se. A investigação sugere que tratar pouco tempo após o seu diagnóstico pode ajudar a prevenir danos permanentes no SNC e atrasar o desenvolvimento de incapacidade. Mas lembre-se de falar com o seu neurologista sobre as suas opções de tratamento e qual pode ser a melhor para si. 

Factos rápidos sobre o tratamento

Existem algumas coisas que deverá considerar no que diz respeito ao tratamento. Seguem-se algumas razões que justificam o início do tratamento pouco tempo depois de receber um diagnóstico:

  • Os danos no cérebro podem começar na EM mesmo antes de começar a sentir os sintomas
  • Começar o tratamento cedo pode atrasar o desenvolvimento da incapacidade 

Lembre-se de falar com o seu neurologista se tiver quaisquer preocupações sobre o tratamento. 

Porque é que as alterações iniciais no meu cérebro são importantes?

Os danos relacionados com a EM no SNC começam numa fase inicial da doença e continuam a acumular-se, por vezes, sem se aperceber. Estas alterações iniciais, incluindo danos ao nível das células no cérebro (por exemplo atrofia) e o desenvolvimento de lesões, são importantes porque foram associadas a:

  • Incapacidade a longo prazo
  • Disfunção sexual (tal como perda de apetite sexual)
  • Limitações devido uma saúde física debilitada, por exemplo dificuldades em caminhar; pode saber mais aqui 
  • Problemas com a saúde mental, tais como depressão e ansiedade 
O que é que o tratamento precoce pode fazer para me ajudar?

Tal como em qualquer outra doença, quanto mais cedo souber dela, mais cedo poderá começar a tratá-la. E para pessoas que vivem com tipos de EM que envolvem surtos e remissão (EMSR), a investigação revela que um tratamento precoce com uma terapêutica modificadora da doença (TMD) pode dar melhores resultados do que começá-lo mais tarde. Se o tratamento com uma TMD for iniciado pouco tempo após o diagnóstico, pode limitar os danos causados na fase inicial da EM, reduzir os surtos e ajudar a atrasar a incapacidade e o seu impacto a longo prazo na sua saúde física, emocional e mental.

Esta é também uma consideração importante para pessoas que acabaram de ter um agravamento dos sintomas de EM. Nestes casos, uma TMD pode aumentar o tempo até a ocorrência de um novo surto além de limitar os danos e a evolução da atrofia cerebral. Por estes motivos, poderá querer discutir com o seu neurologista o início do tratamento com uma TMD numa fase precoce da sua doença, mesmo que esteja a sentir-se bem. 

Não se trata apenas de tratamento precoce; mesmo que já viva com EM há algum tempo, poderá beneficiar do tratamento com uma TMD. Por isso, e se ainda tem surtos, o tratamento com uma TMD poderá impedir ou atrasar a ocorrência de mais danos. 
E lembre-se, independentemente de há quanto tempo vive com EM com períodos de surtos, é importante falar com o seu neurologista sobre a melhor altura para iniciar o tratamento com uma TMD.

Hiperligações úteis